maragogi 2.jpg (800×600)

As piscinas naturais de Maragogi, a 140 quilômetros de Maceió, são o principal atrativo do lugar.  Realmente é impressionante que a seis quilômetros da margem surja um banco de areia com uma barreira de corais. Nas Galés, maior conjunto de piscinas da Costa dos Corais, você fica com água na altura da cintura na maré baixa e pode aproveitar bastante!

Mas há outras piscinas naturais. Valem muito a pena os passeios e, por isso, elegemos essas sete dicas para aproveitá-lo da melhor forma.

O fundo do mar é um lugar incrível, um mundo muito distinto do nosso, com cores mais vivas do que as câmeras subaquáticas são capazes de captar. Ou seja, é muito mais lindo do que você vê nas fotos e nos documentários. Outras sensações de quando se mergulha é ouvir apenas o barulho da sua respiração, é super relaxante!

Piscinas naturais de Maragogi, sete dicas

1 – Confira a tábua de marés

A dica mais importante é a tábua de marés da Marinha. É possível conferir no site qual vai ser o nível da maré e o horário da mais baixa no dia da sua visita. Assim, maré 0.1 significa o menor nível e até 0.3 é considerada bem baixa. Quando a maré estiver acima de 0,7 não saem passeios.

Os catamarãs se organizam para sair da orla a tempo de chegar antes do momento de maré mais baixa, assim o turista pode aproveitar enquanto está baixando e enquanto começa a subir novamente. O passeio dura 2h30, sendo 30 minutos para ir e voltar, e 1h30 nas piscinas.

2 – Catamarã ou lancha?

Embarcações de passeios às piscinas naturais de Maragogi

Fiz dois passeios em catamarãs, mas me disseram que em lancha você aproveita mais as piscinas, porque o tempo de deslocamento é menor e o tempo de permanência maior.

3 – Snorkel ou mergulho com cilindro?

Depende. Os barcos tem serviço de aluguel de snorkel, mas só vale a pena alugar se você não pretende usar o equipamento novamente. Se tiver interesse em mergulho, melhor ter o seu. Pelo preço de alguns aluguéis você compra um snorkel para chamar de seu. Fora que é bem mais higiênico do que usar um snorkel onde todo mundo coloca a boca. No comércio de Maragogi tem para vender.

Concentração de pessoas nas piscinas naturais de Maragogi

Flutuei junto com as pessoas que estavam experimentando o mergulho com cilindroque oferecem no barco. Só tem graça se você nunca mergulhou e quer ter a sensação de usar o equipamento por cerca de 20 minutos. O rapaz te conduz pela mão, apontando os lugares mais interessantes e você só tem que conferir, submerso numa profundidade de cerca de 1 metro. Com snorkel eu consegui ver as mesmas coisas que eles. Avalie se compensa o valor.

4- Vá para mais longe

Para observar melhor os corais, tente afastar-se de onde as pessoas estão aglomeradas. Ao pisar no chão, elas levantam sedimentos de areia e a visibilidade fica muito, muito menor. Outro detalhe: mais próximo aos barcos estarão as pessoas que estão tirando aquelas fotos subaquáticas, onde os fotógrafos jogam ração para que os peixes se aglomerem.

Afastando-se alguns metros, sempre com cuidado, é claro, você vai poder curtir áreas quase exclusivas, com a água bem mais translúcida e peixes agindo mais naturalmente. Cuidado com a hora! Os barcos saem em 1h30!

5 – Pratique o snorkel antes

Piscinas Naturais de Maragogi

Se você não está acostumado a fazer flutuação (snorkeling) você pode sentir alguma dificuldade. Pratique um pouco ficar boiando de barriga pra baixo (é muito mais fácil que de barriga para cima) com a cara na água e respirando normalmente pela boca com o snorkel. Se entrar água, não se desespere. Simplesmente recomece. Depois que conseguir, nunca mais esquecerá.

E então comece seu passeio ao longo dos corais, tentando ficar o máximo de tempo flutuando sem pisar no chão, assim você não atrapalha sua visibilidade.

Se houver uma passagem com a água mais profunda e que você consiga flutuar por cima dos corais, experimente! É uma sensação bem diferente observá-los de cima para baixo.

6 – Não toque nos corais

Esta dica tem tanto o caráter de te proteger deles, mas de protegê-los de você também. Infelizmente, o pisoteamento é uma realidade, então faça sua parte. Corais são um dos ambientes naturais mais frágeis, e o rompimento de um pequeno pedaço significa décadas de calcificação perdidas. Além disso, nos corais vivem os ouriços, que podem te machucar.

Acho que os guias nos barcos deveriam dar mais informações sobre a preservação desse ambiente, e alertar mais os turistas e seus próprios funcionários a interagir com este ambiente de maneira mais sustentável.

7- Proteja-se do sol

Em alguns dias a maré baixa acontece próximo ao meio dia, com o sol na potência máxima. Vista uma camisa, mesmo que você não tenha aquelas de lycra específicas para esportes aquáticos. Suas costas ficarão 1hh30 expostas ao sol enquanto você flutua. Se for passar protetor solar, passe antes de entrar no barco, pois ele demora uns 20 minutos para penetrar na pele, caso passe na hora de entrar na água ele sairá e você poderá se queimar. Não esqueça das nádegas e da perna.

(Fonte: PlanejoViajar)

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *